9 de setembro de 2013

A Debutante - Dindry Buck celebra 15 anos como Drag Queen

O que achou disso? 
Primeira vez que Dindry Buck se viu trasformada.
Tudo começou em meados de 1997. O tímido Albert foi transformado pelas mãos do cabeleireiro e maquiador Ricardo Antunes. Aquilo o deixou fascinado e de lá até hoje já se passaram 15 anos.
Mas como alguém, que chegou timidamente do interior das Minas Gerais - São Francisco - com o sonho de ser ator iria se aventurar por um mundo tão desconhecido e ambíguo?
"Os anjos aparecem na nossa vida, os caminhos tomam rumos diferentes e a gente a princípio não entende o porquê", filosofa a Drag Queen Dindry.
Albert sai do interior das Gerais e cai na casa da maravilhosa e saudosa matriarca Evangelina Lisboa Soares - Dona Vanju -, com seus 14 fantásticos filhos e esse é o primeiro contato com a Paulicéia Desvairada.
Ao mudar para Itaquera, onde fixa residência, conhece o amigo e afilhado Roberto da Silva que será a peça chave dessa história. Ele é o responsável e muito pelo que a Drag Queen Dindry Buck. Com a supervisão da fã número 1 -  a mama Conceição - que bancou a primeira produção da Drag e acompanhavam os dois nos ensaios exaustivos pela tarde em casa, as aulas de postura feminina com um livro na cabeça, gestos, trejeitos, coreografia e dublagem, Roberto ainda deu a ideia do nome - Dindry - que em muito agradou o criador Albert que fez a junção com o final do extenso sobrenome Roggenbuck e transformou no sobrenome da personagem. Estava definido: Dindry Buck.

Como todo começo, tudo foi difícil. A princípio o nome, depois como acontecer na noite.
Dindry Buck
Traje de noite do Miss Gay
pensou em desistir mais seu afilhado fez com que ela persistisse. O então transformista, resolveu participar de um concurso de Miss, tinha que se lançar de alguma forma. Como trabalhava como estilista na rua São Caetano, famosa rua em São Paulo conhecida como rua das noivas; Dindry Buck contou com o apoio do renomado estilista Marcelo Santos que a produziu e ganhou a maquiagem e o cabelo do amigo Ricardo Antunes. Depois vieram os concursos de novos talentos. O primeiro na extinta boate Sky era apresentado pela veterna Dimmy Kieer e Dindry Buck, produzida e incentivada pelo amigo J Ivo Brasil que a apresentou a uma outra pessoa de vital importância para sua carreira - Noelle D'champs (dando dicas preciosas para a mesma) foi classificada e convidada a participar de um show na casa pois como havia ganho nas eliminatórias com a música "Maria del Bairro" de Thalya e a mesma estava chegando em São Paulo, Dindry e Roberto foram se apresentar, ganhando seu primeiro cachê: R$ 30,00.
Dindry ainda participou do Plataforma de Strass, organizado por Kaká di Polly na Blue Space, dublando Reach, de Glória Estefan.
Dindry dubla Glória Estefan
O tempo passa e o criador da Dindry, Albert, passa a trabalhar no departamento de criação da Sex Symbol, editora responsável por uma revista de nú masculino, publicação essa que Dindry além de editar, era responsável por uma coluna onde dava dicas de Drag. Nessa época, conhece o grande amigo, o fotógrafo Eduardo Moraes, ser humanos ímpar, responsável pela transição da Dindry transformista em Dindry Drag, foi devido essa importante mudança que Dindry consegue sua primeira aparição na mídia: é destaque de meia página na Revista da Folha, ao ser levada pelo amigo Eduardo para a estreia do Festival Mix Brasil. Dindry é convidada pelo casal Pierre Michaelovich e Mirian Arcuri para trabalhar no departamento de criação de uma grande Sex Shopp da cidade - Ponto G - e é onde conhece o maquiador das produções de catálogos da empresa Ailton Almeida, a Drag Queen Sissi Girl e ambos vão trabalhar como hostess, justamente com a maravilhosa Bianca Campbell na boate Daddance, centro de São Paulo.
Sissi Girl além de amiga torna-se a grande companheira de trabalho e mostra a Drag Queen o mundo das animações nos eventos. Hoje são sócias da Agência Drag Queen Eventos.
Primeira aparição na mídia: revista da Folha
Dindry Buck ainda lembra da sua primeira animação. Um trabalho que a Drag Queen Sissi Girl passou para ela fazer e que se não fosse pela simpatia do homenageado, seria uma tragédia. Vinda do teatro, a Drag Queen que interpretou Fulaninha e Dona coisa - de Noemi Marinho (a empregada Fulaninha) sobre a direção da atriz Magali Biff, resultado de uma oficina teatral, ainda precisava ser lapidada na questão do improviso, arte que ela domina super bem nos dias de hoje.
De assistente de criação no Ponto G, Albert , a convite de Douglas Nascimento, torna-se Diretor de Criação na editora que publicava a Super T - primeira revista que colocou travestis e Drag Queens estampando outdoor pelas ruas de São Paulo - o nome da Drag Queen começa a se firmar.
Manual da Drag Queen e da Hostess
Dindry Buck é convidada pelo agitador cultural Ricardo Medeiros a ser a hostess da recém inaugurada boate Freedom e acontece na noite, a Drag Queen então se torna conhecida e devido ao brilhante trabalho é convidada para fazer uma inusitada dobradinha, ser hostess também da recém inaugurada boate Planet G, do Rubens Rodrigues e para o seu debut na casa recebe a proposta de lançar um Manual onde relata o que é ser Drag Queen e dá dicas para as Drags. O Manual da Drag Queen e da Hostess é sucesso é Drags e futuras Drags do Brasil inteiro entram em contato com Dindry Buck e com a casa noturna e o mesmo se torna conhecido nacionalmente. 

Dindry Buck, Primeira Drag Queen a participar de um Reality Show no Brasil
Um dos frequentadores da Freedom, André, produtor da TV Band informa a Dindry que a diretora Marlene Mattos estava a procura de uma Drag Queen para participar de um reality show de sucesso da emissora - Tá na Mão - apresentado por Otávio Mesquita, Dindry Buck participa da seleção, é escolhida e torna-se a primeira Drag Queen a participar de um reality show na TV Brasileira. Não ganha o carro (prêmio para quem ficasse de pé, com a mão no mesmo e sem dormir, mais tempo) mas fica conhecida nacionalmente.
Tá na Mão - Dindry é a primeira Drag a participar de um reality show
Dindry, D'Loren e Nyna Ca$h na 1ª Oficina
Oficinas educativas e Profissionalizantes
Militante pelos Direitos e pela Visibilidade da Comunidade LGBT, participante desde a segunda edição da Parada LGBT de São Paulo, Dindry Buck é convidada pela direção da Associação da Parada Gay de São Paulo a ministrar uma Oficina Lúdica que falava sobre Diversidade Sexual e Sexo Seguro, surgia "Na Cama com Dindry Buck". O sucesso foi tanto que a oficina teve que ser repetida e muita gente ficou do lado de fora sem poder assistir a mesma. Foi devido a essa oficina que conheceu a maravilhosa assistente social Fátima Bugolin que a convida a participar como agente de prevenção do Projeto Arco Íris que leva cidadania e prevenção a comunidade LGBT da Zona Leste. Dindry Buck e a equipe do SAE Lider II levam a ação Prevenção com Bom Humor ao Parque do Carmo, colorindo e alegrando mais o lugar.
Alguns anos depois, veio a maravilhosa proposta da direção da Associação de uma Oficina que capacitava profissionais para o mercado do entretenimento Drag - Montagem, Nasce uma Drag Queen - as duas Oficinas são um verdadeiro sucesso de público e tem ótima repercussão na mídia até hoje (Parada de 2013).
Flyer das Oficinas ministradas pela Drag Queen Dindry Buck
Dindry Buck é Show!
Quando se trata de performance, a Drag Queen Dindry Buck sempre gostou de fazer números teatrais e suas megas performances aconteceram nos shows feitos nas edições da Feira da Diversidade em comemoração ao mês do Orgulho LGBT de São Paulo.
Mais de 20 mil pessoas ovacionam a Drag Dindry Buck
A novela Porto dos Milagres de Aguinaldo Silva, fazia grande sucesso na Rede Globo, e Dindry Buck, juntamente com o afilhado Roberto da Silva e o amigo Anderson Joel levam ao palco a música de abertura "Caminho do Mar", gravado na voz da poderosa Gal Costa. Emoção pura! O público de mais de 20 mil pessoas canta a música que as vezes era impossível ouvir o som com a voz da cantora.
Dindry Buck cresce mais e mais em sua carreira como Drag Queen. É convidada pela saudosa Claudia Wonder a escrever uma coluna na Revista G Magazine e juntamente com o amigo Eduardo Moraes, escrevem a Divertidíssima, tem uma coluna no jornal Abalo e é sucesso como hostess nas boates Freedom e Planet G.
Invasão de Privacidade 
Aos sábados a Drag Queen é a apresentadora oficial da Freedom e então acontece mais um passo na carreira da Drag Queen que é formada em Publicidade e Propaganda e é Jornalista: O Invasão de Privacidade, uma espécie de talk show com Dindry Buck entrevistado celebridades do mundo LGBT nas noites de segunda na Freedom. Passaram pelo sofá da Dindry nomes de peso como: Nany People, Léo Áquilla, Dimmy Kieer, Silvetty Montilla...

Programa do Jô - Reconhecimento e visibilidade internacional
Devido a repercussão do trabalho das Drag Queens Dindry Buck e Sissi Girl em Eventos Sociais, Corporativos e Culturais a produção do Programa do Jô entra em contato com as intrépidas Drag Queens e elas então são entrevistadas do mais importante programa de entrevistas da TV Brasileira - Programa do Jô, Rede Globo de Televisão. O entrevistador Jô Soares deixou-as super a vontade e a participação no programa foi um verdadeiro divisor de águas na vida das Drags.
Dindry Buck e Sissi Girl são entrevistadas por Jô Soares

Dindry Buck é matéria de seis páginas e chamada de capa na arrojada e luxuosa Revista Aimé, um sucesso editorial que aposta na informação de qualidade para o público LGBT.
Chamada de capa e entrevista de seis páginas na Revista Aimé

Dindry, protagonista de sua história no Reis da Rua
Reis da Rua - Uma emoção indescritível!
A Drag Queen Dindry Buck foi indicada por Cássio Rodrigo para os produtores Leandro HBL e Rodrigo Barreiros - Mosquito Produções -  para participar de uma produção a ser veiculada na TV Cultura.
O projeto, chamado Reis da Rua, iria mostrar para o mundo, pessoas comuns que eram consideradas "reis e rainhas" em sua comunidade. Dindry não pensou duas vezes e topou participar do projeto. Não podia ter feito melhor escolha. Sucesso absoluto!
A série Reis da Rua que foi exibida em horário nobre na TV Cultura, sucesso de público e crítica, mostrou um pouco da trajetória do criador Albert Roggenbuck, católico praticante que dá vida a militante e atuante Drag Queen Dindry Buck. Depoimentos de amigos, do pároco e de militantes do movimento LGBT. Algo nunca visto na televisão brasileira.


Homenagens
E as homenagens não param por aí. Dindry Buck é homenageada pelo seu trabalho por duas vezes na Câmara Municipal de São Paulo e agradece imensamente ao vereador Floriano Pesaro por sempre estar apoiando essa árdua batalha.
Franco Reinaudo, Dindry Buck, Montoro, Cássio Rodrigo, Heloísa Alves e a homenageada Dindry Buck
Nasce o Esquadrão das Drag Queens
O Largo do Arouche passava por sérios problemas, como limpeza, conservação e convivência, gerando conflito entre moradores e frequentadores e então, mais uma vez, Cássio Rodrigo - Secretaria Estadual de Cultura de Gêneros e Etinias - convida a Drag Queen Dindry Buck para juntos ajustarem a formatação de uma projeto lúdico, com quatro Drag Queens que de uma forma leve, divertida e bem humorada, levaria cidadania e conscientização aos frequentadores do local, a maioria vindo da periferia da cidade, conscientizando a todos do seu papel de cidadão, surge o Esquadrão das Drag Queens. O Projeto Esquadrão das Drags ganha tamanha visibilidade que é convidado a marcar presença e fazer performances em eventos como:
- Congresso Latino Americano e do Caribe de HIV/AIDS e DSTs;
- Marcha contra a Homofobia;
- Grito da Diversidade de Diadema;
- Virada Cultural;
- Casa de Criadores, sendo juri no Concurso Homofobia Fora de Moda, dentre outros importantes eventos.
Esquadrão das Drag Queens no Congresso Latino Americano e do Caribe
Madrinha da 1ª Parada LGBT de Jacareí
Presença nos eventos mais importantes do país. Dindry Buck já levou sua alegria, cor e irreverência em alguns eventos de alguns estados do país como Goiânia - Boate Diesel!Fortaleza - Drag Divine; Maceió - Boate Havana; Recife - Cine Cinemix; Porto Alegre - Boate Refúgio e até na internacional Buenos Aires - Clube 69 e Boate Amérika.

O carinho do pessoal de Jacareí, na pessoa de André Moresi, Serginho Kauffman e Elisângela Anunciato, deixou a Drag Queen Dindry Buck mais que emocionada e lisonjeada, ela foi escolhida a ser Madrinha da 1ª Parada LGBT da cidade.
Drag no volante - Conquista
Grandes Conquistas
A Drag Queen Dindry Buck recorda dos tempos em que saia de casa com sua mala, bolsas, pegava ônibus e metrô sentido centro de São Paulo e ficava hospedada na casa dos grandes amigos Benedito dos Reis (afilhado e quem arrasa nos seus penteados até hoje) e Ailton Almeida e Nivaldo Franciso - Nyna Ca$h. Tempos difíceis mais que se tornaram deliciosos com o convívio e acolhimento sem medida desses amigos mais que especiais. Uma das suas grandes conquistas e um salto para a liberdade foi depois de anos, aprender a dirigir e ter o seu Drag Móvel, como ela chama carinhosamente o seu automóvel.

Material publicitário - criação de Dindry
Moscas Mortas num Copo de Conhaque
Elenco de peso.
Texto e direção do talentoso Ricardo Leitte.
A Drag Queen Dindry Buck sobe aos palcos, é sucesso, viaja pelo Brasil e divide a cena com os maravilhosos Eduardo Moraes, Amanda di Polly, Silvetty Montilla (Stefanie de Bourbon na primeira versão) e Léo Áquilla (Dimmy Kieer na primeira versão) na comédia musical Moscas Mortas num Copo de Conhaque.
É a Drag Queen Dindry Buck realizando por completo o seu sonho de atriz.
Com o amigo e Diretor de Carnaval J Ivo Brasil
Carnaval,uma paixão!
Apaixonada por Carnaval, a Drag queen Dindry Buck fez o seu debut ainda criança na cidade em que foi criada - São Francisco-MG - com fantasias confeccionadas por sua avó afetiva Elisa Maria de Jesus e sua irmã/amiga Claudia Rodrigues de Souza que as acompanhavam pelas ruas de pedras da cidade.
Sua estreia numa grande escola foi na Mocidade Independente de Padre Miguel, sua grande paixão no enredo campeão de 1990 - Vira Virou, Mocidade Chegou!
Em São Paulo ela já saiu praticamente em todas as agremiações e recentemente foi convidada para ser a Rainha Gay da Bateria da Boêmios da Vila, devido seu trabalho e também para desenvolver esse importante trabalho de respeito a Diversidade na comunidade da Zona Sul.
Encontro - Fátima Bernardes
Dindry Buck na mídia
Devido a seu trabalho e sempre estar lutando pela construção de um sociedade melhor em que todos se respeitem a Drag Queen Dindry Buck é destaque na mídia impressa, virtual e televisiva. Recentemente coloriu e divertiu a todos os espectadores bem como a apresentadora Fátima Bernardes e convidados, como a cantora Daniela Mercury do Programa Global Encontro.




"E lá se vão 15 anos de sonhos, lágrimas, conquistas, alegrias e alegrias. Como sempre falo: Ser Drag é ter a sublime missão de levar alegria e cor a tantos lugares e fazer a diferença nesse mundo tão cinza e violento. Agradeço a Deus por ter me presenteado com esse dom tão lindo, a todos os amigos que fizeram, fazem e farão parte desta história, aos fãs reais e virtuais, a todos que direta e indiretamente fazem com que Dindry Buck seja quem é hoje. Lembrem-se, viemos no mundo com uma simples e única missão: Ser Feliz e fazer os que estão a nossa volta Felizes", nunca se esqueçam disso.
A Vida é uma festa, que ela seja inesquecível!
Amo vocês!"
Essa é a mensagem que a Drag Queen Dindry Buck deixa para todos que fazem parte dessa linda história. Como não dá para resumir em um espaço tão pequeno 15 anos de história, tentamos fazer esse breve resumo para não deixar esse momento tão importante na carreira da Drag Queen não passar em branco. Muita foto ficará de fora, muito momento também, mas com certeza estará na lembrança da intrépida Drag Queen e de todos vocês.
Segue alguns momentos e algumas pessoas mais que espeiais...
A Grande fã, o Grande Amor!
Amigos são para sempre!
Roberto - In Memorian
Eduardo Moraes
Ailton Almeida e Benedito dos Reis
Nivaldo e César Rezende
J Ivo Brasil
André Palmas
Send Buck
Carnaval
Nyna Ca$h e Dindry Buck sucesso na Avenida - São Lucas

Dindry Buck na Combinados de Sapopemba

Leandro de Itaquera

O debut na Mocidade Independente de Padre Miguel - 1990
Cinderela na Águia de Ouro

3 comentários:

Rogério Oliveira disse...

Parabéns sua linda. Talento e beleza só podiam somar sucesso garantido. Sou seu fâ!

Rogério Oliveira disse...

Parabéns. Muitas mais conquistas pra ti. Sucesso sempre ^^

Thânya TULmuto disse...

Amoooooooooo essa Pessoa, Sou Fã :D Dindry Buck é uma DRAG QUEEN de Verdade, pois tem Glamour, Alegria, é Colorida, exemplo de Humildade, e o melhor de tudo que ela tem de sobra meu bem "CARISMA" Amooo, amoooooo, amooooooo, e desde já desejo muita Saúde, Paz, Alegrias e Boas Realizações!

Te Love You Visse Dindry <3

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...