20 de novembro de 2012

Vida de Drag Queen - Trabalho, diversão, glamour, mas muita ralação

O que achou disso? 
Ser Drag Queen é antes de mais nada uma profissão como outra qualquer. Tem seus altos e baixos, seus riscos e suas delicias, seu glamour e seu calvário.
Um dia a profissional Drag Queen é super bem recebida em uma festa, todos interagem com ela e é a glória. Em outros o homenageado não entende a proposta do trabalho, não entra no clima da proposta e ai, tem que se fazer das tripas coração para que o trabalho não fique pior do que é.
A Drag Queen nada mais é do que um ator travestido com formas femininas exageradas (e bota exagero nisso) que trabalha, e muito bem, com o improviso e faz de cada performance um standup comedy particular e personalizado em cada evento que é contratada para animar.
Ser Drag Queen é ter jogo de cintura, classe e lidar sempre com as reações mais impensáveis que esse trabalho do improviso pode proporcionar. Saber entrar e sair de qualquer ambiente. Como a Drag Queen já é colorida (um carro alegórico ambulante) não precisa de estardalhaço, a sua figura já é seu cartão de visitas.
A Drag Queen Dindry Buck, no começo da carreira, demorou a entender porque quando saia, seja na rua, seja no trânsito... muitas pessoas quando a avistavam davam gritinhos, ficam esfuziantes... O grito é o ápice da expressão da felicidade e a Drag Queen é sinônimo de felicidade. Então ao animar um evento, seja ele onde for, nunca use termos pejorativos ou denigra a imagem de uma pessoa. A alegria não ofende ninguém, nunca.
O evento de hoje (20/11) da Drag Queen Dindry Buck foi um daqueles que deixam saudades e a sensação de dever cumprido e de que se está indo no caminho certo. A interação artista/público foi mais que perfeita, a alegria foi contagiante e no final a contratante intimou a Drag Queen a ficar mais um pouquinho e desfrutar de alguns momentos especiais. Ser Drag Queen é isso e um pouquinho mais... É fugir da realidade nua, crua e preconceituosa vivendo a personagem que muitos admiram e fugindo dessa realidade com seu trabalho, sem nunca deixar o mesmo subir a sua cabeça e tirar os seus pés da terra firme.
"Agradeço a Deus, todos os dias, por esse dom lindo que ele me deu, de levar alegria, cor e diversão a esse mundo tão violento, cinza e muitas vezes triste e fico feliz pelo fato de através do meu trabalho, conhecer pessoas maravilhosas, viver momentos únicos e estar ao lado de amigos como minha partner Sissi Girl, meu assessor André Palmas, minha afilhada/o Send Buck (que arrasa em suas performances como Drag Queen)". Dindry Buck - The Drag Queen

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...